Firenze me conquistou (também) pelo estômago

Cheguei a Firenze com as expectativas lá em cima. Todas as pessoas com quem conversei antes de viajar, que já tinham ido à cidade, me disseram que ela era lindíssima. E é mesmo. A sensação que tive ao caminhar pelas ruas foi a de estar percorrendo uma galeria de arte a céu aberto – e não dá pra dizer que isso é mentira, já que Firenze é considerada o berço do Renascentismo.

Mas bem, quem me conhece sabe o que penso sobre viajar. Acho que cada um direciona uma visita a qualquer lugar de acordo com o seu foco de interesse. E não vejo nada de mal nisso. Quem curte música, vai a Buenos Aires atrás dos becos onde surgiu o Tango. Quem gosta de histórias de guerra, talvez queira dar um pulinho em Auschwitz pra ver de perto os campos de concentração. E, finalmente, quem gosta de gastronomia, pode querer provar todos os sabores típicos de uma região 🙂 Talvez por isso eu tenha uma memória tão forte dos sabores da gastronomia de Firenze. Sim, sou uma glutona, daquelas que pesquisa no google “10 comidinhas que você não pode deixar de provar em XXX”. Separei aqui algumas das experiências gastronômicas que mais me marcaram na cidade.

:: Trufas

Parece que em todas as ruas onde há restaurantes sente-se no ar um aroma divino de trufa (tartufo, em italiano). É um fungo subterrâneo comestível, difícil de encontrar – elas são caçadas com a ajuda de cães farejadores, para ter uma ideia. Além disso, as trufas não podem ser cultivadas – são condições específicas de um lugar que as fazem existir ali -, nem várias pesquisas já realizadas conseguiram chegar a uma técnica. Enquanto a trufa negra é mais encontrada na França, a branca só existe na Itália, em algumas regiões, incluindo a Toscana, claro.

Pois, ao final de 5 dias na Toscana eu já estava virando quase uma trufa! Massa ao molho de trufas, risotto de trufas, sanduba com pasta de trufa. Sério, gente, não deixem de provar. É um sabor super inusitado – um amargor fresco, difícil de explicar, mas muito interessante. É um desafio ao paladar, não é nada parecido com qualquer ingrediente exótico que possamos experimentar aqui no Brasil.

:: Il Mercato Centrale

Um mercado antigo que foi totalmente repaginado – mantendo a estrutura original – com bancas/restaurantes com o melhor da culinária Italiana! Se você quer provar algum prato com trufas, degustar vinhos sensacionais, pedir aquela tábua de queijos ou se babar com uma pizza daquelas este é o lugar! Funciona mais ou menos como em festivais aqui no Brasil: cada “restaurante” tem um menu fechado, ou oferece uns 5 pratos mais ou menos. Você pega a bandejinha com o prato e vai sentar em algum dos muitos mesões do mercado – podendo dividir com desconhecidos, o que pode ser uma experiência bacana. Agora, o mais incrível: o mercado funciona todos os dias, das 10h às 24h 🙂 Além dos restaurantes, também tem dentro do mercado um mini Eataly e uma escola de gastronomia, onde você pode fazer cursos pra descobrir o melhor da culinária italiana! Vale dar uma espiadinha aqui: www.mercatocentrale.it

:: All’ Antico Vinaio – o mais avaliado no TripAdvisor

O título já dá uma ideia do que vem por aí. Quando você chegar à Via dei Neri e encontrar uma fila gigante na rua, além de muita gente comendo uns sandubas gigantes pela calçada, é sinal de que chegou a All’ Antico Vinaio. São “sanduíches de focaccia”, se é que dá pra dizer assim, recém saída do forno, que você pode rechear como quiser. É uma infinidade de pastas, presuntos, queijos e outros ingredientes que dá pra se perder. É melhor, na fila, já ir pensando no que vai pedir. É tudo muito rápido, e em italiano, e rola uma pressão pra decidir o que você quer. Mas vale muito a pena! Me arrependi de não ter ido todos os dias a esse lugar <o>

Dica: você pode tentar comer lá dentro, na Osteria, mas precisa de reserva. Se você chegar ali na hora e pedir uma mesa, nem vão te deixar aguardar – te dão um cartão e pedem pra você ligar no outro dia 😉 Espia mais aqui: www.allanticovinaio.com

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *